quinta-feira, março 22, 2007

Também à água resta um dia...

(Desenho: Dachuan Xia, China)
"As águas potáveis são abundantes, puras, leves e saborosas”.
- in Vouzela- Antiga Capital de Lafões e seus Arredores, Edição da Comissão de Iniciativa, sd.

Dia Mundial da Água- mau sinal. Quando algo “ganha” o direito ao “seu dia”, é porque sofre tratos de polé nos restantes. É o que se passa com a água. Os estudos revelam que alguns dos mais importantes rios do Mundo, correm o risco de secar. Revelam, também (há muito), que milhões de pessoas (sobretudo, crianças) morrem todos os anos, por não terem acesso a reservas satisfatórias de água potável. Revelam, ainda, que o problema já não se limita às fronteiras dos “pobrezinhos” e que a única causa de tudo isso é a acção do Homem. “Acção do Homem”- curiosa forma de dizer as coisas, responsabilizando todos para ninguém responsabilizar. É como a comemoração do Dia Mundial da Água.

Bom, mas a última coisa que pretendo é fazer um texto “sentimentalão” sobre a água. O que pretendo é falar do Zela e do Vouga e da necessidade de os definirmos como prioritários, recuperando-os antes de se gastar um único cêntimo noutra coisa qualquer. Falar-vos dos recursos imensos que ali estão, ignorados, desaproveitados, à espera que alguém perceba que não há “piscinazeca” que se lhes compare- como gostava de comemorar este dia, com um mergulho na Foz. Pois, a Foz... Lugar de alegria que foi, cenário de mil e uma experiências que nos fizeram homens, para ali está, limitada ao estatuto de beleza para ver e não tocar. A menos que a tristeza seja tanta que nem pensar se permita.

Está visto que hoje não dá para mais. Fiquem-se com água engarrafada e não se esqueçam de fechar bem as torneiras.

4 comentários:

Dom Afonso disse...

"Falar-vos dos recursos imensos que ali estão, ignorados(...)".
Cuidado com as palavras. Para esta gente, "recurso" é tudo aquilo onde onde se mete cimento e ganha dinheiro. O pastel de Vouzela ainda pode ser acusado de ter inspirado um boom de construção nas margens dos rios!!!:))

Zé Bonito disse...

Desse "pecado" estamos livres.:)

João disse...

Boas. Sou de Vouzela, nascido e criado...o trabalho estava tão chato e o sono a chegar, que resolvi fazer uma busca por Vouzela e ver o que dava. E o meu espanto foi grande, quando me deparei com este blog a falar sobre a minha terra.
Vou ficar atento a este blog... podem ter a certeza.

Cumprimentos.

Zé Bonito disse...

Viva, João. Quando se "busca por Vouzela", têm-se sempre surpresas- divulgar isso, também é um dos objectivos deste "blog". Esperamos que regresses, visites o que já por aí se escreveu e mostrou e, sobretudo, que dês a tua opinião. Para que Vouzela continue a surprender-nos (pela positiva, claro), precisa de gente activa.
Um abraço