quarta-feira, abril 14, 2010

Duas boas notícias e um regresso indesejado

. A Associação Empresarial de Lafões retirou o letreiro luminoso da fachada do edifício do Mercado. Ainda bem. O traço de Raul Lino merece ser apreciado sem "corantes".

. A Junta de Freguesia de Vouzela, lançou o concurso das "Janelas floridas". A iniciativa não é inédita e sabemos que levanta reservas aos "puristas" dos "centros históricos". Pela nossa parte, defendemo-la. Tudo o que promova o asseio e contribua para que se ganhe consciência da importância da imagem de Vouzela, tem o nosso apoio.

. Já que falamos de imagem... o contentor do lixo voltou à Praça da República. Agora já não é o eco-ponto, mas sim o velho e bruto contentor verde. Em plena ditadura do automóvel, claro que só podia ser colocado na única zona que deles está livre: junto ao pelourinho. Compreende-se a necessidade de servir a população que ali reside- não se compreende a falta de imaginação. Atrás, a velha casa das ameias que mais do que janelas floridas, bem gostaríamos de ver coberta de flores, nem que mais não fosse para disfarçar o desleixo a que tem estado sujeita. Um conjunto que é uma imagem marcante da vila, surge-nos como exemplo do muito que falta para que se ganhe consciência sobre a importância destes pormenores. Mesmo ao mais "alto nível". Já farta!

10 comentários:

MR disse...

...ainda não me tinha apercebido das boas mas já tinha visto a má...

Zé Bonito disse...

As más (notícias), são as que se sabem primeiro :)).

milinha disse...

Vouzela merece muito mais..."Tudo o que promova o asseio e contribua para que se ganhe consciência da importância da imagem de Vouzela...
Mesmo ao mais "alto nível". Já farta!" eu diria já enjoa.

Diogo_Neves disse...

Visto de quem está de fora mas que tanto ama Vouzela, a iniciativa das flores não me aquece nem arrefece, sim a vila (centro histórico) como quiserem chamar, fica mais bonita, mas nada mais que isso, parece-me uma iniciativa algo vazia, mas pelo menos é uma iniciativa e é disso que a vila precisa.
O contentor do lixo é realmente feito mas é preferível olhar para o contentor verde do que mais atrás para a casa das ameias no estado em que está.
Em relação ao contentor há soluções muito melhores, onde o "depósito do lixo fica no debaixo de terra" deixando apenas visível um bucal discreto para se introduzir o lixo, pode-se sempre oferecer um catálogo de mobiliário urbano aos responsáveis.

A casa era perfeita para instalar uma unidade hoteleira moderna, mantendo a fachada do edifício Vouzela tem atracticos mais que suficientes durante o ano inteiro para se criar, turismo de qualidade, bons ares e boas vistas, boa comida, boa gente, localizada entre Viseu e Aveiro perto das termas de são Pedro do sul e longe da hotelaria em massa da zona das termas.
Sendo um turismo de qualidade o comércio em volta ganhava, criavam-se postos de trabalho, acabava-se com a vergonha no centro da vila.

Mais uma vez, visto de fora, a ideia que tenho é que para os responsáveis, a casa das ameias já devia ter sofrido uma derrocada, daquelas que acontecem devido às chuvas mas deixam os terrenos limpos para a construção. Felizmente para o azar dos responsáveis a construção da casa é resistente.

milinha disse...

Doí a alma quando aí vou, digo para mim, quem te viu e quem te vê... Conheço Vouzela desde que nasci...São acções como as flores, o retirar do caixote do lixo,.. coisas simples mas não de menos importância, o abandono quase total a todos os níveis é notório. Sou adepta da evolução, mas com bom senso. Tenho notado e constatado o contrário. Em minha opinião seria um acto de caridade entregar catálogos de mobiliário urbano aos responsáveis, eu acrescentaria que seria bom um abaixo assinado com as coisas possíveis de se fazerem em Vouzela sem custos elevados...A casa das Ameias é uma história velha e com barbas brancas, para mim é nitidamente falta de vontade política.
Onde está Vouzela culturalmente? O que se tem feito?
O comercio?
Enfim...

Zé Bonito disse...

O problema dos contentores do lixo em zonas de interesse, está mais do que estudado. Há soluções elaboradas como a que refere o Diogo Neves, há outras mais simples (e baratas), como a distribuição de contentores por prédio com horas para colocação na via pública. Esta última solução é usada, por exemplo, em vários bairros de Lisboa. Basta vontade e... perguntar quando não se sabe.

Diogo_Neves disse...

Fazia falta Vouzela ser divulgada, e tanta coisa boa que há para divulgar. A radio Vouzela que podia/devia ter um papel de divulgação, não o faz, passa as musicas que qualquer radio nacional passa e passa os anúncios do comercio local, pouco mais que isso, e para quem vem de fora era importante essa divulgação porque quando se está em Vouzela ouve-se a radio local. E para os locais penso que também era bom saberem o que se passa na sua terra.

Se este blog é o pastel de Vouzela, era bom existir um fórum, podia ser uma caixa (de 6 pasteis de Vouzela) 6 tópicos nem mais nem menos, onde se podia alargar o debate das coisas que se liam no blog e de mais assuntos.

Fica a sugestão para os pasteleiros deste aqui do pastel

Zé Bonito disse...

É uma boa ideia, sim senhor. Veremos se "damos conta dela" no que a exigências técnicas diz respeito. Temos que reunir o "conselho de administração":))

Diogo_Neves disse...

Isso numa reunião enquanto comem uns pasteis, estou certo que vão encontrar (http://www.forumer.com/) alguma coisa que interesse (free).

Zé Bonito disse...

O problema, Diogo, não é criá-lo (já está). É mantê-lo. De qualquer modo, muito obrigado pela ajuda.